sábado, 5 de julho de 2014

O Maravilhoso Programa de Doze Passos - Primeiro Passo

Olá pessoal, conforme informei na postagem anterior dou continuidade ao assunto hoje para que todos possam compreender a dinâmica do Programa de doze passos.
O programa de doze passos é uma das ferramentas mais utilizadas no mundo para tratamento de dependência em álcool, drogas e outros problemas.
Antes de falar do primeiro passo lembro que todo projeto tem como ponto inicial uma grande ideia, depois vem a fase de elaboração desta ideia e enfim a fase da ação propriamente dita. No caso dos doze passos a dinâmica é muito similar, primeiro vem a ideia, depois a elaboração desta ideia e por fim a ação.
Mas qual é a ideia inicial do programa? A ideia inicial não é propriamente uma ideia, mas sim uma condição essencial para o sucesso do programa, sendo assim podemos comparar a uma ideia inicial o desejo de parar de usar (seja lá o que for) conhecido no programa como 3ª tradição. As literaturas oficiais de recuperação deixam claro que o início do processo de recuperação está pautado neste desejo, sem ele nada poderá ser feito. Simplesmente é assim, sem desejo sem recuperação. Para todos os tipos de problemas utilizamos este princípio: desejo de resolver, de parar, de se curar, de se tratar, de se modificar e por aí vai.
A partir deste desejo poderá ser construída a estrutura da recuperação, aí sim entram os doze passos.
O primeiro passo tem como enunciado “admitimos a nossa impotência perante o problema e que nossa vida está descontrolada” (versão livre do enunciado do passo).
Sendo assim o primeiro passo tem como princípio levar a pessoa a fazer algumas observações de suma importância sobre si mesma, observar sua vida com honestidade que é um princípio espiritual básico do programa, com isto poder fazer uma admissão de que ela é uma pessoa com algum problema específico que está descontrolando sua vida ou mesmo arruinando tudo o que nela se construiu. No caso do dependente químico, que o álcool ou as drogas vêm destruindo sua vida e que precisa ser feito algo para sessar esta destruição.
Juntamente com o princípio da honestidade é necessário associar um outro princípio, o da mente aberta, que significa ter abertura mental e/ou psicológica para absorver a realidade dos fatos e sair da negação do problema. A negação é uma barreira psicológica, que impede a pessoa de entrar em contato com sua própria realidade, e se esta negação não for rompida, esta não conseguirá vislumbrar a necessidade da mudança.
O passo segue adiante declarando que as pessoas são impotentes perante estes problemas, através de pedrões cognitivos e comportamentais disfuncionais e, isto é o que torna a vida descontrolada. Estes comportamentos e padrões cognitivos se apresentam na forma de distorções cognitivas, negações, transferências de responsabilidades, justificativas, baixa autoestima, apatia, abandono, desistências, comportamentos de grandiosidade, entre outros que no futuro falarei mais ou caso tenha interesse, leia a postagem “Aceitação é a Solução” e isto tudo dificulta muito o processo terapêutico.
Depois da pessoa aceitar que precisa parar de usar ou fazer algo a respeito, como disse antes vem a parte de elaboração do programa e isto se inicia muito dolorosamente no primeiro passo, pois as pessoas não tem por costume se auto avaliarem para perceber suas dificuldades e assumir suas falhas e, esta é a realidade apresentada por este passo. As pessoas podem perceber que estão cheias de ideias desconexas sobre si, sobre o mundo e sobre a sua vida a partir daqui, e, olhar esta realidade de frente é o início da liberdade pessoal com a difícil missão de mapear a sua própria realidade da vida.
Diante de tudo isto reafirmo que o programa é completo e complexo e necessita de tempo hábil para seu aprofundamento, pois a avaliação superficial será prejudicial ao processo como um todo e ressalvo a importância da aplicação de outros princípios que são muito importantes para o sucesso do programa: a paciência, boa vontade, determinação e confiança porque os resultados virão, não agora, mais virão.
Então afirmo que o desejo, aceitação, admissão, honestidade, mente aberta, coragem são a base para que a pessoa possa se render a um programa de recuperação, esta rendição que também é um princípio espiritual do programa se refere a uma proposta elaborada e eficaz para o sucesso do tratamento que está fundamentada em princípios espirituais e não em ações já executadas anteriormente pela pessoa de forma forçosa e insistente.
Espero ter deixado clara a dinâmica deste passo e que também tenham através da leitura desta postagem o despertar espiritual para aceitarem o desafio de aplicar o programa em sua vida e desfrutar dos seus benefícios.
O passo seguinte traz a sugestão de que é necessário algo além de você para que o sucesso do programa seja atingido e falarei sobre o assunto no próximo post.

Link para a postagem “Aceitação é a Solução”.

Aguardem o próximo passo. A próxima postagem. Boa Semana.

Deixe seu comentário e ideias para futuros assuntos a serem abordados. 

2 comentários:

  1. Bacana terapeuta Ulysses!
    Vários conceitos apresentados de forma clara, para compreensão de todas as pessoas, desde quem nunca teve contato com o Programa até quem os aplica em seu dia-a-dia.
    Admitir o problema e perceber que o descontrole é completo gera angústia, pois dá a dimensão da minha impotência... mas saber da realidade me permite modificá-la.
    Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é a proposta deste passo, observar a impotência, entrar em contato com a realidade e estruturar as mudanças. Obrigado pelo comentário. Divulgue o blog e continue deixando sua opinião e sugestões.

      Excluir