segunda-feira, 21 de julho de 2014

O Maravilhoso Programa de Doze Passos – Terceiro Passo

Olá amigos dependentes e familiares! Espero que venham crescendo em suas recuperações e conhecimentos sobre o Programa de 12 passos através das postagens.
Conforme anunciado, dou seguimento ao estudo e aprofundamento do Programa de Doze Passos focando agora o Terceiro Passo. Antes de falar propriamente do mesmo, trago a lembrança que é de suma importância a descoberta pessoal de uma figura central e real de um Poder Superior ou Maior para sua vida como é claramente dito no Segundo Passo. Digo isto, porque o Terceiro Passo está fundamentado em fazer uma escolha, tomar uma decisão muito importante, a de entregar a sua vida aos cuidados deste Poder Superior ou Maior que, no Terceiro Passo é claramente conhecido na figura de Deus.
Esse Deus da sua compreensão deve possuir algumas qualidades em especial, como ser amoroso, cuidadoso, bondoso, confortador entre outras características positivas e instrutivas e, acima de tudo se ter a visão que este Deus tem a sua confiança, ou seja, um Deus confiável, pois não se pode entregar algo tão precioso como a própria vida a um poder ou figura de deus que não se possa confiar ou traga segurança.
Esta segurança deve estar pautada em saber que este Deus tem competência para dirigir a sua vida melhor que você mesmo, que este Deus possui conhecimentos além dos seus próprios, que o caminho por ele sugerido é melhor que o que você mesmo possa traçar para sua vida e que mesmo que as coisas aparentemente não estejam fazendo sentido ou pareçam estar erradas isto é apenas parte do caminho, e não o caminho em si.
Devemos que ter em mente que as dificuldades ou obstáculos do caminho são necessários para que haja mudanças e crescimento e lembrando, como já disse antes, o objetivo do programa é trazer um crescimento pessoal e espiritual ao indivíduo que o pratica.
Essa entrega é o princípio espiritual regente e essencial deste passo e é muito importante, pois é o alicerce da fé e o início da aniquilação do controle do ego. As pessoas tendem a controlar tudo para que possam escolher que tipo de resultados desejam obter de cada escolha em suas vidas, mas isto, como o Segundo Passo afirma, é insanidade, porque nossas escolhas quase sempre são voltadas para benefícios egoístas e burladores de situações que possam gerar perdas ou sofrimentos. Mesmo que se tente viver dessa forma é impossível, sempre existem resultados desfavoráveis que estão além do que se possa controlar e, como disse acima, são as dificuldades que produzem experiência, aprendizado e mudanças, e sem elas não existe crescimento.
A necessidade de controle está baseada no medo de perder o mesmo, então se tenta controlar tudo. Insanamente se tenta controlar o que sentir, o que viver, o uso, as circunstâncias entre várias outras coisas, chegando inclusive ao ponto de tentar controlar a vida dos outros. Isto tanto por parte do dependente quanto por parte da família, tal comportamento é insano, porque é impossível de se fazer.
A figura de Deus neste passo é clara, após ser devolvido à sanidade, como resultado da prática do Segundo Passo, decidimos que esse Deus é extremamente competente para gerenciar nossas vidas.
A Figura de Deus classicamente descrita é de uma trindade Onisciente, ou seja, conhecedora de todas as coisas, Onipotente, sendo assim detentora de todo poder e finalmente, Onipresente, esse poder se encontra em todos os lugares e/ou todas as coisas.
Partindo desta configuração de Deus como não ter confiança nEle? Como não ver o poder que necessito para qualquer problema, dificuldade ou mudança nEle? São algumas das perguntas que faço a você para ajudar na reflexão para esta entrega.
Como o passo diz em seu enunciado, “decidimos entregar nossas vontades e nossas vidas aos cuidados de Deus da forma como nós o concebíamos”, fica claro que esta entrega é essencial para que a nossa vontade de controlar tudo deixe de estar em nossas mãos e, que o sucesso de nossas vidas esteja nas mãos de Deus, que sabe muito bem, melhor que nós mesmos das nossas capacidades e do que precisamos para atingir o maior objetivo de nossas vidas. A entrega da vontade também deve ser feita em padrões positivos que estão envolvidos para o sucesso e resultado final do Programa, como a vontade de mudar, de ser melhor, ser feliz, ter qualidade de vida e por ai vai.
A princípio, o objetivo inicial, no caso do dependente, está voltado para a recuperação da dependência, parar de usar, mas no futuro mutará (ou mudará) para propósitos maiores. No caso da família inicialmente é aprender com a dependência do ente querido e modificar-se através do processo de recuperação pessoal, depois o propósito também mudará para outros.
Viver o que se tem que viver é o que trará crescimento, fugir ou tentar controlar trará sofrimento e igualdade.
Ressalvo novamente que o construir desta entrega é gradual e leva tempo, como a prática diária dos princípios espirituais dos Passos anteriores e por isto é preciso ter paciência, disciplina e compromisso para atingir os resultados. Dedique o tempo necessário para isto, pois, afirmo que essa entrega te levará à preparação para seguir em frente no Programa, sem ela não se pode atingir os princípios espirituais necessários para o próximo passo. Coragem e Profundidade!

Até a próxima postagem. Boa Semana. Comente, compartilhe e divulgue.

5 comentários:

  1. Acompanhar seu blog está me dando uma nova percepção sobre o Programa, muito interessante. Gostei muito do que falou sobre a confiança em Deus e a tentativa de controle do mundo por medo exatamente da perda de controle. Enfim... se fosse escrever sobre cada uma das partes que me clarearam a mente não caberia. Isso aí, aguardarei a próxima postagem.
    Não deixe de escrever! beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário que sempre é bem vindo. Deus é muito importante no processo e gostaria de saber mais sobre os esclarecimentos que teve com as postagens assim posso ter uma ideia mais palpável de como venho ajudando as pessoas. Beijos. Até a próxima postagem.

      Excluir
    2. Certo, sua postagem deu sentido à relação entre Controle - Confiança e Rendição. Ao aceitar que não tenho o controle sobre as coisas, posso confiar em um Poder Superior e me render às Suas vontades, que com certeza irão me direcionar ao melhor caminho.
      Obrigada

      Excluir
  2. Companheiros e Ulysses, estou vivendo um momento extremamente doloroso.
    Um termino de relacionamento complicado... o relacionamento em si, foi muito complicado!! E o termino, também, foi complicado. Não consigo sanar ou estancar essa dor que NÃO para e emanar. Apesar de todo o sofrimento e dor que o relacionamento trazia, eu tentei por diversas vezes voltar e a pessoa não quer. Alias, essa foi a tônica da relação. Eu queria muito me relacionar e ela não. Não falava de suas emoções, planos em comum, metas e etc. Sou um adicto em recuperação. Obrigado.

    ResponderExcluir
  3. Boa noite companheiro, sinto pela situação mais como disse na postagem Deus está no controle e mesmo que não se aceite ou entenda é o que deveria acontecer. Um escritor espiritualista muito bom que costumo ler diz que a pior traição que faço é a comigo mesmo quando tento forçar a situação fechando as portas para o futuro onde o melhor se encontra. Acredite algo de positivo vai surgir deste caos aparente. Bons Momentos e obrigado pela postagem e partilha

    ResponderExcluir